Parque Estadual Paulo César Vinha - Guarapari

Pessoal, no início de 2010 eu conheci um lugar em Guarapari que é um verdadeiro paraíso: É o Parque Estadual Paulo César Vinha. Descobri esse lugar num encarte de jornal e aí acessei o site do Meio Ambiente (IEMA). Quando vi as fotos... meus amigos, fiquei louco pra conhecer. Eu fui lá e olha, o lugar é lindo demais!


O Parque Estadual Paulo Cesar Vinha (PEPCV) é um dos 6 Parques Estaduais administrados pelo Governo do Espírito Santo. Os demais são:

  • Parque Estadual Cachoeira da Fumaça (PECF) em Alegre e Ibitirama, na Região Sul;
  • Parque Estadual da Pedra Azul (PEPAZ) em Domingos Martins, Região Serrana;
  • Parque Estadual de Itaúnas (PEI) em Conceição da Barra, na Região Norte;
  • Parque Estadual do Forno Grande (PEFG) em Castelo, Região Sul e
  • Parque Estadual de Mata das Flores (PEMF), também em Castelo, na Região Sul. 

Situado entre os municípios de Guarapari e Vila Velha, o PEPCV é um lugar incrível e muito legal de se conhecer. Lá é possível estar em contato direto com a natureza e aprender um pouco mais de educação ambiental. Além disso, o parque possui 5 atrações: caminhada pelas trilhas da Clúsia e Restinga, a Praia de Caraís, a Lagoa de Caraís (mais conhecida como a Lagoa da Coca-Cola), o Mirante do Sambaqui e o passeio de caiaque pela Trilha da Capivara.


Sua história iniciou em Junho de 1990, quando foi inaugurado como Parque Estadual de Setiba. Em 1994 teve seu nome alterado para Parque Estadual Paulo César Vinha em homenagem ao biólogo Paulo César Vinha, assassinado devido à sua luta pela preservação da área, pois era contra o extrativismo de areia na região.

A área do parque é de 1.500 hectares e sua principal formação florestal é a restinga. Lá existem 45 espécies de répteis, sendo 14 espécies de lagartos, 27 de serpentes, 2 anfisbênios, 1 de jacaré e 1 de cágado - dentre elas há espécies raras, exóticas e ameaçadas de extinção. E é triste informar que toda fauna protegida pelo PEPCV sofre com a caça, desmatamento incêndios criminosos e atropelamentos. Essas informações estão no livro "Répteis de Restinga do Parque Estadual Paulo César Vinha", resultado da pesquisa dos biólogos Thiago Marcial de Castro e Thiago Silva Soares.


E olha, esse é um passeio que todos devem fazer. Da entrada até a Praia de Caraís são 1,5 Km de caminhada. Ela começa na Trilha da Restinga, principal trilha do parque, que te leva até a praia. Chegando lá e indo em direção ao sul, caminhando mais 1 Km, chega-se à Lagoa de Caraís. Se caminhar um pouco mais, chega-se na Praia de Setibão. É um percurso com grau de dificuldade fácil, com relevo plano, solo arenoso e pouca sombra. Em alguns momentos da trilha há uma mata semi-fechada. O tempo estimado até a lagoa é de aproximadamente 1 hora.


Mas antes de chegar na praia, ainda na trilha, pouco mais de 500 metros de caminhada encontramos o deck da Trilha da Capivara, ponto de partida para o passeio de caiaque. Esse passeio é guiado e agendado previamente com os monitores ambientais. Atualmente, quem faz esse passeio é o Giovanni Merola. Para conhecer melhor seu trabalho, veja suas fotos no seu perfil do Instagram ou na página Trilha da Capivara, no Facebook. Se quiser entrar em contato com ele, seu celular é 27 99500-2405.

E ao longo da trilha existem algumas placas educativas bem legais, onde aprendemos um poucos mais sobre a flora e a fauna local. São elas:

Placa Brejo Herbáceo - está a 500 metros da entrada do parque e diz o seguinte:

Esta planície alagada constitui um ambiente muito utilizado para alimentação e reprodução de vários animais e por isso é considerada verdadeiro berçário natural. Algumas áreas são permanentemente alagadas, outras, somente no período de chuvas, quando os canais de drenagem chegam a cobrir a trilha. As águas dos brejos e canais abastecem a Lagoa de Caraís.


Placa Formação Aberta de Clúsia - está a 1 Km da entrada do parque e diz o seguinte:

A "clúsia" é um arbusto comum no centro das moitas de vegetação e possui grande importância para o ambiente em que vive, pois promove sombreamento, acúmulo de umidade e matéria orgânica, indispensáveis para o desenvolvimento de outras espécies. Por estas trilhas circulam também muitos animais de hábitos noturnos, como o cachorro-do-mato, o tatu e o gato-do-mato.


Placa Mata Seca - está a 300 metros da praia e diz o seguinte: 

Esta floresta possui um dos ambientes com maior diversidade de plantas e animais da restinga. Nela vivem animais como ouriços, gambás, saguis-da-cara-branca, teiús e muitos beija-flores. Entre as plantas, destaca-se a "barba-de-velho" (Tillandsia usneoides): um tipo de bromélia em formato de cabelo, utilizado para confecção de ninhos por algumas aves.


Há ainda uma outra trilha que fica à esquerda, ao lado da sede administrativa, que é a Trilha da Clúsia. Sua duração é de aproximadamente 20 minutos e ela é pequena, tem apenas 150 metros. Nela, o visitante tem a oportunidade de conhecer as belezas da restinga, podendo observar desde bromélias e orquídeas, até árvores com 15 metros de altura.


Existem algumas orientações muito importante a serem seguidas durante as trilhas, que é:

  • Andar somente nas trilhas;
  • Estar atento às informações do Condutor Ambiental;
  • Caminhar em silêncio para ouvir os sons da natureza;
  • Não tocar ou retirar as plantas e flores do local;
  • Guardar consigo o seu lixo e depois depositá-lo nas lixeiras.

Em diversos pontos do parque existem placas alertando para as proibições abaixo:

  • Pescar;
  • Acampar;
  • Caçar;
  • Pisotear a vegetação;
  • Trânsito de veículos;
  • Levar animais domésticos;
  • Atear fogo;
  • Fazer churrasco;
  • Retirada de vegetação e
  • Jogar lixo.

Ah, é importante ressaltar também que não há lanchonetes e nem restaurantes no local. Logo na entrada há uma área de vivência com banheiros e bebedouros. Sendo assim, é necessário levar água, comida e sacola para recolher o lixo. Não podemos esquecer que ali é uma área de conservação ambiental e o habitat de diversas espécies - os intrusos e agressores somos nós e qualquer intervenção (como uma simples atitude de alimentar um cachorro-do-mato, por exemplo) pode causar um sério desequilíbrio ambiental.

E olha só que legal: O PEPCV, junto com a APAE de Vitória, desenvolveu o Projeto Trilha Cidadã, disponibilizando uma cadeira de rodas para que cadeirantes também possam conhecer o local. Seu uso está restrito ao Centro de Vivência e à Trilha da Restinga (que se inicia próximo à sede até a margem da praia, ficando expressamente proibido entrar na orla ou na praia). Muito show, não é?

E é claro que não poderia deixar de fazer um breve comentário sobre a Praia e Lagoa de Caraís - essa última, ponto alto do parque. Gente, tomar banho naquela praia deserta não tem preço! Além do visual fantástico - a vista para o arquipélago de Três Ilhas é maravilhoso - o mar é delicioso! E a lagoa então... Mas não vou falar muito aqui porque esses dois serão tema para outras duas postagens, ok!


Como chegar:

Partindo de Vila Velha, siga para Guarapari pela Rodovia do Sol. A sede do PEPCV está localizada logo após o pedágio, no Km 37,5. É necessário seguir em frente e fazer o contorno à esquerda pelo viaduto, pois a entrada fica do outro lado da pista.

Horário de Funcionamento:

Diariamente, de 8:00 hs às 17:00 hs, com entrada franca. Visitas em grupo devem ser marcadas 24 hs de antecedência.

Trilhas:

Diariamente, de 8:00 hs às 15:30 hs, com entrada franca.

Passeio de Caiaque:

Agendamento prévio com o Monitor Ambiental Giovanni Merola: 27 99500-2405.

Contato:

Tel: 27 3242-3665
Celular: 27 9727-6295
E-mail: pepcv@iema.es.gov.br

Fonte: Wikipédia (História do PEPCV)

Obs.: Esse post, publicado originalmente em 29/01/2010, sofreu modificações no dia 18/02/2017, devido às grandes mudanças que ocorreram no PEPCV nos últimos 7 anos.



Mundi - Compare Preços de Passagens Areas e Hoteis

Pesquise Preços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...