Ruínas da Igreja de São José do Queimado - Serra

Você sabia que no município da Serra, numa região bem isolada, encontra-se um sítio histórico e as ruínas da Igreja de São José do Queimado? Eu fui lá conhecer
esse "museu de céu aberto" - achei maneiríssimo - e nessa matéria eu conto pra vocês como foi a visita!


 
Você já segue o Terra Capixaba no Instagram? Se sua resposta é não, comece a nos seguir AGORA! Lá nós somos + de 37 Mil apaixonados pelo ES, não fique de fora dessa! 
 
Visitar as ruínas da Igreja de São José do Queimado vai muito além da visita a um sítio arqueológico; na verdade, essas ruínas guardam até hoje a memória de uma luta pela liberdade - que infelizmente não aconteceu e culminou na "Insurreição do Queimado"!
 
Mas antes de mergulhar fundo nessa história, vou falar um pouco de como é o trajeto até as ruínas. Elas estão localizadas no distrito do Queimado, uma região bem remota do município da Serra e não há transporte público que leve até lá, só veículos particulares mesmo. O GPS do Google Maps te deixa certinho no local e ao chegar, deixamos o carro atrás de uma barreira, a poucos metros das ruínas da igreja. A partir daí, seguimos alguns minutos à pé e logo, logo, chegamos ao nosso destino!
 
 
No lado esquerdo do local há dois totens que contam em detalhes como se deu a "Insurreição do Queimado" e logo à frente estão as ruínas. E embora sejam ruínas, não deixa de impressionar e aguçar a curiosidade dos fatos que realmente aconteceram ali!

 
Palco de uma das principais revoltas das negras e dos negros escravizados no Espírito Santo no Século XVIII, a chamada "Insurreição do Queimado" aconteceu em 19 de Março de 1849, quando o frei italiano Gregório José Maria de Bené prometeu aos escravos uma carta de alforria em troca da construção da igreja de São José - fato que não aconteceu, gerando uma revolta geral, que se transformou num movimento liderado pelos escravos Chico Prego, João da Viúva e Elisário!
 
E a história tem desdobramentos mais tristes ainda, quando relatos apontam que mais de 300 homens, mulheres e crianças foram enganados após longa jornada de trabalho árduo - as pedras do templo eram divididas por tamanhos e carregadas por longas distâncias e subidas íngremes; as pedras pequenas (do tamanho de um punho), eram destinadas às crianças - algumas com apenas seis anos de idade!


Dei um giro por todo o local e nas fotos abaixo vocês podem ter uma noção - em 360º - de como estão as ruínas da igreja!
 
 
O sítio histórico foi restaurado no ano passado pela Prefeitura da Serra e reaberto para visitação no mês de Agosto. Nesse trabalho de restauro, foram preservados diversos elementos da arquitetura original da igreja como o arco do cruzeiro, a pedra do átrio, o piso antigo e a escada.
 
No interior da igreja podemos ver um painel que mostra todo o cronograma histórico, iniciando em 1845, quando foi lançada a pedra fundamental da construção e findando em 2020, com a entrega da primeira fase da revitalização do local.
 
E nas paredes, alguns quadros apresentam detalhes técnicos e litúrgicos, relacionados à construção.    

 
Falando no interior da igreja, vai aqui um aviso muito importante: marimbondos fizeram casa no marco superior da porta lateral direita. Mas calma, nada de pânico! Eles estão no seu habitat natural, é só não mexer que tá tudo certo, viu? Em se tratando de um sítio arqueológico localizado num lugar remoto e em meio a uma área de mata fechada, isso é bastante comum, tá?

E falando em mata fechada, uma dica preciosíssima, principalmente se for levar crianças, é: não esqueçam o repelente, porque na área externa tem muitos mosquitos!
 
Continuando...
 
Subindo as escadas, podemos ter uma noção panorâmica privilegiada da parte interna e externa da igreja! Rende altas fotos aí, viu?

 
E antes de encerrar essa matéria, pessoal, quero mostrar a vocês dois pontos específicos que lhes ajudarão a chegar no local: o primeiro é essa passagem localizada à direita da pista na altura do Polo Industrial Piracema, logo após passar o Terminal Industrial e Multimodal da Serra (Tims).

 
O segundo ponto é já na Av Piracema, no final do Polo Industrial Piracema, onde há uma placa indicando pra virar à direita, ok?


Dessa forma, apresentamos a vocês, galera, mais um ponto turístico e histórico pra conhecer, apreciar e valorizar! Lembrando que a visita é gratuita e as ruínas estão abertas 24 horas para visitação.
 
IMPORTANTE: Os stories desse passeio estão salvos nos Destaques, no perfil do Terra Capixaba no Instagram! Cliquem aí nesse link, peguem a pipoca e o refrigerante, reúnam a família e bora assistir, pessoal!

Como chegar:

Saindo de Vitória, siga pela BR-101 em direção à Serra. Após passar o Vitória Apart Hospital, dê a volta pelo viaduto para pegar a Av Marginal, em direção ao Pavilhão de Carapina. Siga em frente e pegue a saída à direita da pista na altura do Polo Industrial Piracema, logo após o Terminal Industrial e Multimodal da Serra (Tims). Na primeira bifurcação, vire à direita (há uma placa indicativa) e siga adiante até chegar no local.
 
  
 
Ao visitar esse ponto turístico, que tal mantê-lo preservado, do jeito que está? Não joguem ou deixem lixo nos locais. Ajudem a preservar o patrimônio natural que pertence a todos nós. O Meio Ambiente e o Terra Capixaba agradecem!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...